Resumo de situação na Síria em 4 de janeiro

Imagem via Syrian Observatory for Human Rights.

Google News

Uma breve visão geral dos desenvolvimentos recentes na Síria:

– Em 1º de janeiro, o SDF disse que 14 membros do ISIS foram presos na área de Sour, enquanto 3 membros do ISIS do Iraque foram eliminados;
– Em 1o de janeiro, os EUA e a SDF conduziram um exercício militar na base de Al-Omar;
– Em 1º de janeiro, um IED plantado em um carro explodiu na cidade de Al-Bab. Nenhuma vítima foi relatada;
– Em 1o de janeiro, a artilharia das forças apoiadas pela Turquia bombardeou posições SDF na área de Ain Issa;
– Em 1º de janeiro, o grupo Hurras al-Din, afiliado à Al-Qaeda, atacou posições russas perto da vila de Tal al-Samen com um carro-bomba e dois homens-bomba.
– Em 3 de janeiro, a artilharia das forças apoiadas pela Turquia bombardeou posições das Forças Democráticas da Síria (SDF) perto de Ain Issa;
– Em 3 de janeiro, a artilharia das forças apoiadas pela Turquia bombardeou posições da SAA em Saraqib;
– Em 3 de janeiro, a Polícia Militar russa cunded uma patrulha perto do Aeroporto Deir Ezzor e dos campos de petróleo;
– Em 3 de janeiro, militantes de Maghaweir al-Thowra, apoiados pelos Estados Unidos, realizaram exercícios noturnos na área de Al-Tanf;
– Em 3 de janeiro, uma explosão estourou na cidade de Qamishli;
– Em 3 de janeiro, 9 pessoas foram mortas e 6 outras ficaram feridas no ataque do ISIS a um ônibus perto de Wadi Al-Adhib.
– Em 4 de janeiro, a artilharia do Exército Árabe Sírio (SAA) bombardeou posições de forças apoiadas pela Turquia nas aldeias de Kansafra e Fatirah;

Anteriormente, no final de 2020:

Na manhã de 30 de dezembro, aviões de combate da Força Aérea de Israel mais uma vez realizaram ataques contra supostos alvos iranianos no interior de Damasco. De acordo com relatos, uma pessoa foi morta e outras três ficaram feridas no ataque.

Anteriormente, um veículo aéreo não tripulado e não identificado atingiu vários caminhões-tanques de petróleo perto da vila de al-Hamran, que fica ao norte da cidade de Manbij, no norte da Síria. A vila está situada na linha de contato entre os territórios controlados pelas forças apoiadas pela Turquia e as Forças Democráticas Sírias (SDF) dominadas pelos curdos.

De acordo com fontes locais, os caminhões tanques pertenciam a contrabandistas de petróleo ligados à SDF, que estavam vendendo petróleo saqueado dos campos de petróleo controlados pelos EUA na margem oriental do Eufrates para entidades ligadas à Turquia. Este negócio de contrabando de petróleo lança luz sobre a verdadeira face da liderança curda do SDF, que gosta de fazer declarações em voz alta sobre seu suposto patriotismo e seus planos de expulsar o exército turco do norte da Síria.

Em Idlib, três militares russos sofreram ferimentos leves como resultado de um ataque de ATGM em seu veículo blindado, informou o Ministério da Defesa russo em 29 de dezembro, controlado por militantes apoiados pela Turquia. As forças russas, em cooperação com os militares turcos e as forças de segurança sírias, procuram os envolvidos.

Esses desenvolvimentos ocorreram enquanto as Forças Armadas turcas trabalhavam para evacuar seu ponto de observação próximo à cidade de Tell Touqan. Este foi um dos últimos pontos remanescentes dentro dos territórios, que foram libertados pelo Exército Sírio.

Nos últimos meses, a Turquia retirou um grupo de seus postos, que havia sido cercado por tropas federais nacionais sírias 5forças de Bashar el Assad). À luz disso, o recente aumento de ataques por proxyes turcos ao longo da linha de contato pode ser uma parte do jogo turco que visa demonstrar que qualquer diminuição da presença militar turca na Grande Idlib levaria à deterioração da situação de segurança lá.

Créditos na imagem.
  • Com informações SANA Syria, Observatório Sírio de Direitos Humanos (Syrian Observatory for Human Rights) e STF Analisys & Intelligence via redação Orbis Defense Europe.



Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

Assine nossa Newsletter


Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail, é de graça!

Assista nosso último episódio: