Venezuela; Rússia alerta USA contra intervenção militar e Presidente Bolsonaro “espera pelo pior”

blank
Imagem via EFE Venezuela.

Rússia alerta EUA contra intervenção militar na Venezuela, EUA não aceitam ordem de expulsão de Maduro da Venezuela e; ‘Esperamos o pior’, diz Bolsonaro sobre crise na Venezuela…
Vice-ministro das Relações Exteriores russo disse que Moscou estará ao lado da Venezuela para proteger sua soberania

A Rússia alertou os Estados Unidos nesta quinta-feira (24) a não intervirem militarmente na Venezuela, dizendo que uma medida desse tipo desencadearia um cenário catastrófico, segundo a agência de notícias “Interfax”.

O líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, declarou-se presidente interino do país na quarta-feira, recebendo o apoio de Washington e de muitos países latino-americanos e levando o presidente socialista Nicolás Maduro, que lidera a Venezuela desde 2013, a romper relações diplomáticas com os Estados Unidos.

Segundo a “Interfax”, o vice-ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Ryabkov, disse que Moscou estará ao lado da Venezuela para proteger sua soberania e o princípio da não interferência em seus assuntos internos.

EUA não aceitam ordem de expulsão de Maduro da Venezuela

Segundo secretário de Estados americano, Mike Pompeo, Maduro não tem autoridade legal para romper laços diplomáticos

O secretário de Estados americano, Mike Pompeo, disse na noite desta quarta-feira, 23, que Nicolás Maduro não tem autoridade legal para romper relações diplomáticas com os Estados Unidos, pois Washington não reconhece seu governo. Ele também afirmou que o governo americano não vai retirar seus diplomatas da Venezuela, o que significa ignorar uma ordem emitida mais cedo por Maduro.

O anúncio de Pompeo ocorreu horas depois de os Estados Unidos reconhecerem o líder da oposição Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela. Foi essa decisão que levou Maduro a ordenar que os diplomatas americanos deixem o país em até 72 horas.

Guaidó, por sua vez, pediu para aos Estados Unidos e aos demais países que mantenham suas representações diplomáticas em Caracas.

‘Esperamos o pior’, diz Bolsonaro sobre crise na Venezuela

Presidente brasileiro anuncia reconhecimento do Brasil ao opositor Guaidó como presidente da Venezuela

O Presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira estar preocupado com a possibilidade de que haja uma resistência por parte de Nicolás Maduro, diante da decisão de Brasil, EUA, Colômbia e outros países de reconhecer o opositor Juan Guaidó como o presidente legítimo da Venezuela.

“Todos nós conhecemos um pouquinho Nicolás Maduro. Esperamos o pior. Há uma preocupação, sim”, disse Bolsonaro em declarações exclusivas ao Estado. “Mas achamos que Guaidó não receberá qualquer tipo de retaliação de Maduro, até porque o mundo está de olho nisso e os EUA também reconheceram”, afirmou o presidente.

Bolsonaro participou nesta quarta-feira em Davos de uma reunião com os presidentes da Colômbia, Equador e Costa Rica, além de chanceleres do Canadá e outros países.

Instantes depois de dar as declarações ao Estado, diante da imprensa internacional, ele confirmou a decisão do governo brasileiro. “O Brasil reconhece Guaidó como presidente da Venezuela. O Brasil, juntamente com os demais países do Grupo de Lima, que estão reconhecendo um a um esse fato, daremos todo o apoio politico necessário para que esse processo siga seu destino”, disse.

Ao deixar o encontro em Davos dedicado à crise venezuelana, membros da oposição de Caracas não continham as lágrimas diante dos anúncios dos diferentes governos da região. “Vamos dar todo o apoio para que a transição possa ocorrer”, completou Iván Duque, presidente da Colômbia.

Com informações via Redação Orbis Defense, Agência AFP, Reuters e grandes midias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here