Secretário de Estado dos EUA afirma que haverá ‘resposta coletiva’ ao Irã no caso de petroleiro

blank
Imagem via U.S. Department of State.

Os EUA, Reino Unido, Israel e Romênia retaliarão o suposto ataque iraniano ao navio comercial Mercer Street, afirmou Washington dias após dois membros de sua tripulação morrerem.

Antony Blinken, secretário de Estado dos EUA, informou em um briefing na segunda-feira (2) que trabalhará ao lado do Reino Unido, Israel e Romênia para organizar uma “resposta coletiva” contra o Irã pelo recente ataque ao petroleiro Mercer Street, ao qual é atribuído o evento.

Apesar disso, ele não tinha certeza se tal ação constituía “qualquer coisa de novo ou de novo para o novo governo do presidente eleito iraniano Ebrahim Raisi”, pois o Irã tem estado envolvido em uma “série” de ações similares “durante muitos meses, inclusive contra a navegação”, afirmou.
“O que isso diz é que o Irã continua agindo com tremenda irresponsabilidade quando se trata, neste caso, de ameaças à navegação, ao comércio, a marinheiros inocentes, que estão simplesmente envolvidos no trânsito comercial em águas internacionais”, acrescentou ele.

Nos últimos dias os EUA, Reino Unido e Israel têm acusado o Irã de atacar na quinta-feira (29) o navio comercial Mercer Street, sob bandeira da Libéria, e operado por uma empresa do bilionário israelense Eyal Ofer, que estava navegando na costa de Omã. O capitão romeno e um segurança britânico morreram após o incidente.
O Irã, por sua vez, negou ter participado da ação, e prometeu responder “imediata e fortemente” a qualquer ataque que for realizado usando este caso como justificativa.

Reino Unido e EUA acusam Irã de ataque deliberado a navio israelense em Omã e prometem resposta

Mercer Street, navio-tanque de bandeira liberiana operado pela empresa Zodiac Maritime, do bilionário israelense Eyal Ofer, foi alvo de um ataque em 29 de julho a nordeste da ilha de Masirah, em Omã.

O Reino Unido e os EUA afirmaram neste domingo (1º) que acreditam que o Irã realizou um ataque ao petroleiro Mercer Street, operado por empresa israelense, na costa de Omã, que matou um britânico e um romeno na quinta-feira (29). O Reino Unido disse que estava trabalhando com parceiros em uma “resposta concertada”.

“Acreditamos que esse ataque foi deliberado, direcionado e uma clara violação da lei internacional pelo Irã […]. O Reino Unido está trabalhando com nossos parceiros internacionais sobre uma resposta concertada a este ataque inaceitável”, declarou o ministro das Relações Exteriores britânico, Dominic Raab, citado pela agência Reuters.
As avaliações do Reino Unido concluíram que era altamente provável que o Irã tivesse usado um ou mais drones para realizar o ataque “ilegal e insensível”.

Horas depois, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, afirmou que “não havia justificativa para este ataque, que segue um padrão de ataques e outros comportamentos beligerantes” de Teerã.

“Essas ações ameaçam a liberdade de navegação por esta hidrovia crucial, o transporte e o comércio internacional, e as vidas das pessoas nas embarcações envolvidas”, disse Blinken em comunicado, citado pela agência AP.

O Mercer Street, um navio-tanque de bandeira liberiana operado pela empresa Zodiac Maritime, do bilionário israelense Eyal Ofer, foi alvo de um ataque em 29 de julho a nordeste da ilha de Masirah, em Omã. Duas pessoas morreram no incidente: uma delas, segundo consta, era o capitão romeno e a outra um segurança britânico.

Irã cometeu ‘erro grave

Primeiro-ministro israelense Naftali Bennett afirmou que o país tem provas de que o Irã esteve por trás do ataque: “Esperamos que a comunidade internacional deixe claro ao regime iraniano que ele cometeu um erro grave. De qualquer forma, sabemos como enviar uma mensagem ao Irã à nossa maneira”.

O Irã, por sua vez, negou ter qualquer envolvimento com no incidente. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Saeed Khatibzadeh, afirmou neste domingo (1º) que Israel cria um ambiente de insegurança, terror e violência, acrescentando que as acusações sobre o envolvimento do Irã são condenadas por Teerã. “Tais acusações são feitas por Israel para desviar a atenção dos fatos e é infundada”, disse Khatibzadeh, citado pela mídia.
Após a negação do Irã, Naftali Bennett afirmou que Teerã “tenta fugir da responsabilidade” do incidente e chamou a negativa de “covarde”.

  • Com informações do U.S. Department of State, AFP, France Inter, STF Analysis & Intelligence via redação Orbis Defense Europe.