Segurança Privada no Brasil (parte 2)

A formação e a valorização do profissional do setor de segurança privada sempre foi foco de muito debate seja ele positivo ou negativo, dependendo muito do aspecto e da natureza do assunto ou “noticia” que motivou o debate.

Sempre que se levanta a questão da formação do profissional da segurança privada, uma das primeiras questões que vêm à mente das partes é a que trata da qualificação mínima para ingresso no curso.

A Escolaridade infelizmente é vinculada a falta de capacidade intelectual e por que não dizer, falta de qualificação. Mas de onde vem esta exigência e porque se acha que seja a mínima a ser atendida? Segundo a portaria do DPF n.º 3258 de 02/01/2013 em seu anexo-I, descreve em diversos pontos sobre o tema, sendo o primordial deles o item 4.1 que descreve o que reproduzimos abaixo:

4.1. Metodologia

Os CFVs adotarão a metodologia do ensino direto, utilizando-se de métodos e técnicas de ensino individualizado, coletivo e em grupo, enfatizando ao máximo a parte prática, no intuito de alcançar os objetivos propostos para o curso, bem como palestras e mesas redondas abrangendo temas de interesse dos futuros vigilantes.

Os exercícios simulados, aproximados ao máximo da realidade, serão admitidos para aguçar a destreza e como antecipação aos exercícios reais, desde que em condições de segurança adequadas, a cargo e sob a responsabilidade do curso. A disposição do plano de curso e a grade horária ficam a cargo dos cursos de formação, em conformidade com este programa de curso.

As disciplinas teóricas (excetuadas a de Educação Física, Prevenção e Combate a Incêndio, Primeiros Socorros, Defesa Pessoal e Armamento e Tiro) serão ministradas de forma sequencial, quando o conteúdo programático exigir de uma seja pré-requisito para as subsequentes.

A linguagem usada pelo professor e a complexidade na apresentação dos temas deverão levar em consideração a escolaridade e os alunos com nível de compreensão mais baixo. (GN) Os professores serão selecionados conforme as especialidades, por meio de  credenciamento, sendo que os psicólogos que venham a aplicar os testes psicológicos deverão estar inscritos no Sistema Nacional de Armas – SINARM.

Os monitores serão de livre opção dos cursos de formação, desde que estas observem o desenvolvimento do conteúdo programático e a segurança dos alunos. 

Os cursos de formação deverão manter em arquivo o plano de curso, grade horária e os planos de aula elaborados pelos professores, a serem apresentados por ocasião da fiscalização. 

As aulas teóricas de Tecnologias Não-Letais devem abordar de forma abrangente todas as circunstâncias e cenários de seu possível uso, objetivando preservar a incolumidade física das pessoas controladas com uso da força durante o exercício da profissão, em conformidade com os preceitos das Organizações das Nações Unidas – ONU relativos aos direitos humanos. 

As aulas de Armamento e Tiro deverão ser distribuídas ao longo do curso, de forma intercalada com as demais disciplinas, com o fim de valorizar o manuseio e propiciar intimidade com a arma, mediante exercícios de empunhadura, visada e tiros em seco antes do tiro real. 

O tiro real não poderá ser realizado em uma única etapa, cuja distribuição seguirá o programa de matéria abaixo. (continua).

Como se mostra no decreto, a escolaridade mínima não fica clara justifica e porque desta exigência mínima, mas que lei é esta e porque 4ª série? Fica ainda a pergunta. Dai voltamos ao decreto original Decreto 1.034/69 e outros passando pela Lei 7.102 e qual a surpresa, nada. Apenas na Lei 7.102 se descreve a necessidade da forma como conhecemos mais nada que justifique tal escolha.

Fato este que não pode ser refutado uma vez que a exigência é hoje incabível e justifico por meios de argumentos e fatos.

Segundo as próprias leis e decretos do setor, justificam que o grau de escolaridade é incompatível com a realidade da profissão (vide grade de formação do curso de vigilantes) portaria do DPF n.º 3258 de 02/01/2013 em seu anexo-I item 4.3 Grade Curricular.

Pergunto: Como um cidadão com domínio da antiga 4ª série primária; hoje já não tratada assim, poderia entender a complexabilidade de matérias como Legislação Aplicada, Direito, Sistemas de Telecomunicação? Depois sistemas de informática para segurança eletrônica e afim? O grau de escolaridade do vigilante no Brasil é incompatível uma vez que a exigência mínima de instrução exigida pela legislação e as reais necessidades do mercado no segmento da Segurança Privada são totalmente diferentes.

Por fim o que vemos em nossa classe profissional é um crescente desvalorização do profissional seja por meio da retórica da incapacidade intelectual ou por este ser um frustrado. O que nos resta então é lutar por mudanças, mas em mudanças de nossos próprios conceitos e hábitos. Aperfeiçoamento constante, treinamentos, elevação no nosso nível pessoal de escolaridade e muita determinação.

Acredito que muitos dos que aqui ao lerem irão se espelhar e dizer “mas eu já faço tudo isto” e porque não ha mudanças? Porque alem de nossa parte precisamos de mudanças reais na legislação vigente; neste e em outros quesitos, que abordarei mais a frente.

Todos já ouvimos a triste lenda que a escolaridade baixa foi atribuída para abranger trabalhadores de baixo nível e pouca escolaridade uma vez que este serviço era considerado de pouca relevância e deveria ser realizado por pessoas um tanto adequadas a ele, lembrando que eram os idos de 1969 a 1983. Dai surge uma retórica depreciativa de muitos anos com inúmeras justificativas e olhares tortos a que todos nos do setor já passamos.

Hoje o profissional da área é uma pessoa muito qualificada que tem domínio de diversas ferramentas digitais e processos de qualidade, sistemas de controle e organizacionais que não deixam nada a desejar a outros segmentos. Porem nenhum deles com nosso nível de responsabilidade.

Segundo uma antiga matéria da Folha de São Paulo datada de 22 de Agosto de 1998, que tinha uma chamada de capa com este titulo: De cada 10 seguranças privados, 7 não têm primeiro grau completo; analfabetos chegam a 7% do total, Vigia tem menos escolaridade que policial. Assinada VANESSA HAIGH da Sucursal de Brasília  e GONZALO NAVARRETE da Reportagem Local Esta é a visão a qual temos que mudar.

Fiquem bem e seguros, Sou Alexandre Martins e nos falamos em breve.

SP, 15/04/2019 – 16:05hs.

Fontes:

Foto:Internet

Folha de São Paulo, Policia Federal, Câmara dos Deputados, Senado da Republica, Uzil Formação de Vigilantes, CNGS, SESVESP e ABSEG

97 COMENTÁRIOS

    • Muito importante tratar desse assunto que se encontra, esquecido pelas autoridades fico no aguardo de mais conteúdo esse programs não pode parar#segueadiante.

    • Ola Waltair
      Obrigado pela compreensão e apoio, valorização amparada pela qualificação é o foco a ser alcançado para a real melhora da classe. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  1. Engraçado que não estou vendo nenhuma publicação sobre a extensão do porte para vigilantes aqui desse sait para cobrar a promessa de campanha do presidente Bolsonaro, hoje já saiu a dos cacs e colecionadores que havia prometido só falta agente cobrar e fazer a nossa parte

    • Camarada, acho que o sr. ainda não entendeu do que o Sr. Martins está falando. Estamos falando em evolução, em melhorarmos a nossa escolaridade, como foi feito nas PMs de cada estado, com isso veio o respeito por parte da sociedade, melhores salários e boa aposentadoria que é o que precisamos.

    • Ola Tiago
      Não é um tema dos mais fáceis mesmo porque hoje temos a Lei 10.826/03 e ela limita de modo geral tal entendimento e alem dela outros entraves legais, pessoais e técnicos para esta regulação. Um coisa é certa antes de correr devemos andar, e logo este tgema sera alem de abordado aqui sera regulamentado de forma a atender as necessidades da categoria. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  2. Na minha opinião é inadmissível o profissional de segurança privada não ter grau de escolaridade (ensino médio)completo,sou vigilante e concordo em aumentar sim o grau de escolaridade mesmo porque temos q saber nós portar perante á sociedade de forma e conhecimentos de leis,direitos e deveres para podermos também reenvidicar melhorias em conhecimento,material de trabalho,reconhecimento,melhores salários,benefícios e planos de carreira.

    • Ola Heleno
      Perfeitas observações, tudo em nossa imagem deve se adequar para ajudar a aprimorar nosso padrão profissional, Postura, Ética, Etiqueta, treinamentos e educação são nossas metas ara justificarem uma melhor valorização do profissional. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

    • Concordo plenamente amigo !
      Não discordando do seu ponto de vista, mas tem observação importantíssimo: Grau de escolaridade vai ser trazer um valor maior a categoria, todavia não tem total certeza de qualidade apenas por isso! Vivemos na era da informação, então não tem desculpa de não tem possibilidade de estudar. Vejo que o grande problema é: mudar este cenário dos profissionais que não tem um aperfeiçoamento contínuo. Mas resta nos profissionais da área adequarmos o quê o mercado pede , e o mais importante que é transformar informação em conhecimento.

      • Ola Paulo
        Com certeza as mudanças de senário vão mudar a credibilidade e a valorização do profissional. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

    • Ola Fabio
      Como já comentei, temos que entender que a formação e a contratação são dois casos distintos, o que temos que equiparar é a qualificação para regular a contratação. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  3. Eu sou de opinião que inclusive o próprio nome “vigilantes ” deveria mudar. Vi uma vez uma entrevista de um presidente de sindicato dos vigilantes alegando que vigilantes não deveriam usar armas. Creio que a categoria não está bem representada. No lado das empresas de segurança, a PF criou uma portaria que torna muito difícil de uma empresa se credenciar. PF favoreceu apenas as gigantes empresas com essas normas.

    • Ola Ismar
      Adorei sua abordagem, ela sera fruto de uma pauta próxima e que liga diretamente a profissão a valorização e respeito. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  4. Cada ano que passa a profissão de vigilante fica mais desvalorizada, isso tem que mudar, tendo em vista que a vigilância é um complemento da segurança pública, chega desse descaso com nós vigilantes.

  5. O mercado de trabalho não é o mesmo de antigamente,hoje se tem informação em tempo real de tudo e todos.O segmento de vigilância e segurança privada está mudando.

    • Ola Orlando
      Perfeita observação, informação em tempo real dinâmica e pontual, em qualquer lugar a todo momento, monitoramento e acompanhamento. Demandas para muito estudo e aprimoramento. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  6. Vejo que ter estudos para trabalhar de vigilante vem a cair bem está engigencia.
    Mais tem outra coisa que seria de grande ajuda a categoria
    Como valorização e mais respeito da grande maioria da grande mídia e daqueles que acha vigilante com escravos pois está mesma categoria hoje
    E três vezes mais que a polícia militar
    E não vejo os mesmos com tanto indis
    DE erros ou fazendo tanta besteira como
    Outras categorias
    Acho que tudo que vier para acrescentar
    E qualificar e bom para a categoria
    Mais hoje a categoria precisa dos seus direitos respeitados.

    • Ola Wellington
      Uma visão muito pertinente. Primeiro passo seria a qualificação pessoal e apos a profissional. todas as demais metas e necessidades viriam com estas evoluções. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  7. Isso tem que mudar,tem ser Ensino Médio completo.O salário também tem que melhorar,o tempo de reciclagem ser em 3 em 3 anos.
    Nossa profissão tem que ter mais respeito,ser orgulho e exemplo,temos que ter mais autoridade e poder.As empresas dar investir em cursos técnicos para qualificar seus colaboradores.

  8. Graças a Deus! Até que enfim, alguém para falar a verdade em prol da nossa categoria tão defasada. Obrigado Alexandre Martins! Abraços a todos .

  9. Boa noite. Estou de acordo com essas mudanças, temos que mostrar nosso valor. Com essas facilidade de estudare um grande passo. Para aqueles que não querem as mudanças, que não querem terminar os estudos, acho nada mas justo eles optarem para o setor de vigia ou vigilante desarmados. (Essa é minha opinião.)

    • Ola Marcelo
      Perfeito cada profissional deve focar naquilo que lhe é mais adequado e preciso porem deve pensar que ele faz parte de uma classe que precisa ficar unida e vencer pelos números. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  10. Concordo que os legisladores de hoje deveriam mudar os requisitos mínimos para a formação do profissional de Segurança Privada.Enquanto a atual portaria estiver em vigor,sem mencionada a real necessidade de requisitos mínimo da escolaridade,que deve ser o Ensino médio Completo,estaremos fadados a uma renda salarial defasada e a mercê de aprovação de salários indignos para o profissional da área. É realmente necessário a mudança na portaria que rege a profissao de Vigilante no país….todos os setores geradores de mão de obra para área, já deveriam aprovar este requisito. Mas também esbarram na displicência de parte das partes interessadas em contratar os serviços de Segurança Privada,pois quanto menos instrução, menor irá ser o salário para os profissionais da classe.Este requisito mínimo, que nem é mencionado na portaria em questão, deveria sim,ser mudado.A falta de representantes da classe no meio político, torna a profissão desvalorizada.Basta observar está desvalorização na tentativa de aprovação do Estatuto da segurança Privada,cuja a tramitação até os dias atuais,está parada no congresso.E os profissionais da area, em contra partida,deveriam estar mais qualificados.Mas por conta do desinteresse de ambas as partes,a profissão fica como esta atualmente…a má vontade existe em ambos os lados…Sindicatos ,antes de qualquer luta por aprovação de dissidio e acordo locais,deveriam tratar dessas questões também.

    • Ola Anderson
      As tão sonhadas mudanças na legislação, em nosso estatuto e em nossa qualificação são nosso maiores desejos e metas, precisamo para ta alem da união da classe a visão clara de metas e rumos. As mudanças propostas pelas PLs 4238/12, PL135/10, SCD 6/16 e em 2017 a mudança pela PL 6635/16. Estas mudanças e tentativas mostram que mudar é possível. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  11. MUITO BEM ALEXANDRE MARTINS .O GRAU DE ESCOLARIDADE JÁ ERA P TER SIDO MODIFICADO FAZ TEMPO . ISSO ENTRA NA ESFERA POLÍTICA PQ SE A CLASSE MESMA NÃO COBRAR COBRAR MESMO OU ESTIVER ALGUÉM Q TOME A INICIATIVA DE REPRESENTAR A QUESTÃO PLENÁRIA NADA MUDARÁ SE NÃO MUDAR A LEGISLAÇÃO DAS PORTARIAS E TUDO MAIS . POIS ISSO NÃO SERIA PAPEL DA DPF EM SE PREOCULPAR COM ISSO BEM SEI .

    • Ola Ademir
      Uma visão atual e preocupante, nos fata representatividade e respaldo. Todas as mudanças que estão em pauta dependem de representatividade politica, somos fortes e muitos suficientes para nos fazermos sermos bem representados. A união da categoria seria o primeiro passo. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  12. Curso de formação de vigilantes tinha que mudar a escolaridade para 2 grau completo. por que as empresas hoje so contrata vigilantes com ensino medio completo. Dpf tem que mudar.

  13. Conheci muitos vigilantes que não tinham elevado grau de instrução e eram muito mais comprometidos e eficientes que graduados. Em uma época, em que muitos universitários não tem o discernimento de alguém que cursou apenas a quarta serie primaria na década de 50, acredito que instrução é necessária mas não pode ser exigência, seletora de títulos e não de talentos.

    • Ola Everton
      Concordo mas você também pode concordar comigo que a postura e o comprometimento dos antigos era maior que a de muitos novos, reflexo de tempos fáceis e pouca responsabilidade. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  14. É lamentável não se investir nesses profissionais,temos que mudar e tem sim que ter um processo de evolução,pois é preciso mais profissionalismo é até injusto deixar um profissional de baixa qualidade intelectual correr riscos….é lamentável é necessário a mudança

    • Ola César
      Perfeitas colocações. Mudanças vão melhorar não só o reconhecimento, valorização e a imagem como também a segurança pessoal de cada profissional. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  15. Penso que a pouco exigência na escolaridade de um vigilante, seja pelo salário.
    Quanto menos conhecimento menor o salário a ser pago. É onde entra os interesses…

  16. Sou a favor do ensino médio, pois ja passei em postos de serviço, que o livro de ocorrência é uma vergonha, palavras simples como trabalho ,colocam, tabalho, repasso ,como repaco ,a casos que nem sabem preencher uma Folha de ponto ,e é porque são caras ja estão na firma com 5 a 6 anos . E informática nem se conta .

    • Ola Claudio
      Esta hoje também é uma infeliz realidade de nossa classe e é para isto que vedemos olhar, lutar e mudarmos. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  17. Sou vigilante, a muito anos deste de 1994 e até presente data eu sou vigilante,, muito dizem que a escolaridade interfere pode até ser más na verdade é que não interfere em nada como pode um vigilante patrimonial,,escolta,, transporte de valores te uma escolaridade ótima se o empresário ganham muito dinheiro em cima dos vigilantes sejam com muito estudo ou pouco só sei que o dinheiro é bem melhor que os estudos,,cade a polícia federal que não envertigam as empresas de segurança,,,

    • Ola Otávio
      A percepção de valor vem com a capacitação e a melhoria de postos e cargos. deixar salários nivelados e baixos logico gera mais retorno para os contratos porem gera insegurança aos mesmos pois como exigir sem a contra partida? a segurança para tal é feita nos nossos próprios números e na lista enorme de desempregados a espera de vagas. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  18. No meu entender, não só o segundo grau, como também para ser vigilante nos dias de hoje tem que ser reservista de primeira categoria das forças armadas , porque quem vem das forças armadas já tem um pequeno preparo para desempenhar a função melhor e sermos mas valorizados com salários melhor e também no meu ver acabar com esses centro de formação de vigilantes que só faz forma vigilantes a moda Bangu ,no meu ver teria que ter no estado do RJ ,um centro de formação de vigilantes no estado aí sim

    • Ola Denis
      Não podemos misturar as situações. Todos profissional tem seu treinamento porem nem todo profissional é treinado para ser o que outro é. Explico. Militares do Exercito em patrulhamento policial. Certeza de QRU porque???? Simples militares não são trinados para abordagem, dialogo, trato com publico e situações de contato interpessoal com a população, São treinado para guerra. A policia Militar é tudo isto mas não é treinada para guerra de grande escala. Claro tudo nivelado pela media e respeitando as diferenças e capacitações de cada um. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  19. Apoio a escolaridade do ensino médio, pois só assim teríamos valor na nossa Profissão e um salário melhor com Planos de saúde médico e dentário.

  20. 4° série primaria faz juz a categoria Waltair.
    Você escreve ou digita mal não tem conhecimento de português, e péssima ortografia.
    Desculpe a franquesa.

    • Tem q por esses q estão apoiando tal situação para estudar q nem escrever sabem,são hipócritas e querem salário maior, conheço mts bons vigilantes q só tem 5° série e MTS cm curso técnicos q são ruins,a pessoa q tem estudo não vai querer ser vigilante,vão estudar vcs seus hipocritas,.

    • Bom dia companheiro Aurelino, se é que posso me dirigir a você com esse “tratamento”.

      Pois bem, o editor dessa matéria , foi enfático nas palavras, evidenciando oque a categoria tem passado nos últimos anos.

      Porem, é por conta de pessoas insensíveis iguais a você, que estamos em translado sem fim.
      Alguém que ridiculariza o próximo , com palavras ofensivas e degradantes.

      Creio que sua formação deva ser a mais interessante, pois a forma de correção foi no mínimo vexatória, diante dos leitores dessa matéria.

      Prezado, evolua, pois sua evolução humanista será de enorme valor para nossa categoria e sociedade.
      Repense sua palavras, para que no futuro , possa contribuir e não julgar.

      Lembre-se, amanhã poderá ser você, a quem todos poderão recorrer, e se até esse futuro estiver com essa mesma visão, serão eles a lhe ajudar.

      Pense, repense e evolua.

  21. Fala se muito em mudar o nome vigilância, para polícia privada porém isso esbarra na ma vontade dos legisladores e tmb nos representantes patrimoniais visto que isso acarretaria em um aumento de salário e benefícios e de exigências de qualificação, somos a extensão da segurança pública porém o que vejo é um total descaso com a nossa profissão pq não temos poder nenhum nem sequer o porte de arma fora de serviço aí fica a pergunta que extensão da segurança pública é essa pq a criminalidade crescer assustadoramente e os meliantes vêem o vigilante como uma ameaça e quando saímos do trabalho a grande maioria vai pegar transporte coletivo ficando assim a mercê dás ações dos criminosos ou seja somos alvos fixos

    • Polícia privada kkkkkkkk,se ponha no seu lugar vigia,quer ser PM presta concurso,por isso somos desvalorizados,o sujeito põe arma na conta já axa q é um delegado dono do mundo🤣🤣🤣🤣

    • Ola Odair
      Este tema vai ser a pauta da próxima matéria, mas desde já acredito que possamos começar a discutir o tema. Dos temas mais polêmicos e difíceis este é um deles. O que seria preciso para isto acontecer? Como a atual legislação penal e civil enxergaria esta nova situação? como deveria ser o novo profissional? os antigos como se enquadrariam? perguntas a serem respondidas. Já se falou muito em mudanças temos a PL6635/16, Temos o Próprio projeto de policia privada que parou por falta de definições e apoio passando pela mudança no estatuto da segurança privada PL4238/12 e por ai vai, o que precisamos agora é de definições reais. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  22. Boa noite, comcordo em numero genero e grau, porque hj em dia tem como se matricular em uma escola para concluir o ensino, e assim tds poderao renvindicar seus direitos na area.eneias

  23. Trabalho na área um bom tempo e tenho alguns certificados , o que vejo hoje que o próprio vigilante esta matando a categoria , trabalho com um que é a primeira empresa dele, esta menos de 6 meses na área, mas o cara já é tranqueira, não tem postura nenhuma nas frente das pessoas, só fala gritando, fica dando risadas alta e toda hora, tudo isso só fortalece as pessoas que falam mal da categoria

    • Ola Derek
      Esta a a imagem que boa parte da sociedade tem de nossa classe. E é para isto que precisamos olhar e forças mudanças. Postura, Ética, Etiqueta, Educação, Profissionalismo. São a base de nossa evolução. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  24. Realidade pura, nós da segurança privada temos que orar muito a Deus para que a lei dos vigilantes venha ser mudada da melhor maneira possível poque depois de tudo mudado quem sabe o salário dos vigilantes chega igual a da segurança pública com direito a benefícios e poder de polícia sendo assim trabalharemos mais feliz.

    • Ola Rivaldo
      É exatamente o que toda nossa classe deseja. Nos fala união e percepção que somos muitos e fortes.Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  25. Balela isso tudo vejo comentarios cada um querendo derrubar seu companheiro a começar dessa pessoa que não sei se é deputado ou que porra que é quero ver na pratica proposta existe desde 99 quando entrei pra area aliás conheci muitos e muitos estudados ai em sp que se dizia formados que com a caneta e o lapis na mão era uma negação pra começo de história não sabia fazer um relatório na hora da ficha as empresa pedia redação o tema geralmente era quem sou eu ou falar sobre a empresa vi muitos analfabeto da quarta série terminar suas fichas e os formadinhos ficarem tentando copiar a do colega ou colar pra mim isso é balela se eles quisesse mudar alguma coisa já teria mudado se alguem ai disser que falta na categoria desunião ai sim eu concordo pode mudar o que quiser mais antigamente empresa nem uma contratava funcionarios com atestado de loucura não antigamente empresa nem uma contratava tatuado não antigamente até a istatura era botado em pratica hoje passou em frente a empresa eles lação e jogam pra dentro sem ao menos saber quem é o funcionario e o risco é de quem nosso vigilantes que vamos pra uma porta giratória com um gardenau ou até mesmo um bandido certo acho que tem que haver mudanças sim mais na forma de contratação principalmente eu presenciei varios QRU com colegas por falsidade daquele que se dizia companheiro hoje tenho muitos amigos de cadeiras de rodas com problemas de saúde por falsidade graças a deus trabalhei mais de 20 anos na area enfrentei muitas portas giratórias e até hoje sou reconhecido em plena enforvigil pelo excelente serviço prestado para com as empresa e com meu colega de serviço isso que falta em alguns colegas pra depois pensarmos em mudanças.

    • Ola Everaldo
      Ótimo relato Obrigado.
      Mudanças devem partir de nos, não podemos esperar que outros a façam por nos. Se precisamos de representantes devemos escolher com muito critério quem vai nos representar. Este ou estes devem ter a clara ideia que somos nos que indicamos o caminho e não alguém dizer que vai nos representar e depois representar a si mesmo, acho que era isto que você comentava. Sobre sermos desunidos, esta é a nossa maior deficiência, como classe devemos preservar a nossa união pois dela sairia tudo o que almejamos. Todas as demais mazelas que você comentou são fruto da falta de percepção ou compreensão de união e companheirismo, Já dizia o ditado: “Aqueles quem sangram juntos sabem a dor do outro”. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  26. Enquanto houver deputados donos de empresa de segurança, haverá interesse próprio do mesmo e do profissional de segurança (lado mais fraco) continuará a se arrastar para o pior. É lamentável

    • Ola Ricardo
      O Jogo politico existe e sempre existira, so nos resta não jogar. Seja como for estes empresários não representam a totalidade de profissionais ou empresas, somos uma força enorme e podemos sim escolhermos nossos representantes. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

    • Ola José
      Qualificação e Vocalização estão ligados, como disse em outra resposta aqui. Nossa politica salarial esta ligada a qualificação desta forma poderíamos lutar por melhores salários e benefícios. Eu pessoalmente vejo que nossa categoria deveria ter os mesmos padrões salariais dos agentes públicos pois de uma forma ou outra acabamos desenvolvendo atividades relacionadas. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  27. Vcs não conhecem a área ,então não falem oq não sabem, conheço MTS vigilantes bons só com 5° série, é um trabalho difícil q quem tem estudo não fica,quem escreveu essa matéria e um burguês playboy q não sabe nada da vida

    • Ola Taygo

      A principio a titulo de informação, também sou sou vigilante de formação, apenas me aperfeiçoei e busquei melhorias, conheço sim as mazelas da profissão e suas dificuldades tanto é que escrevo sobre elas. Mudanças e melhorias implicam em luta e aprimoramento, em momento algum na matéria escrevi menosprezando os profissionais da área, pautei a mesma na melhoria de nossa imagem e qualificação. Qualificação esta que passa pela postura, ética, etiqueta e educação. Alias pontos estes que são mencionados sempre que se procura desvalorizar e diminuir nossa classe. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

    • Ola Maxsandro

      Este seria o primeiro passo para uma mudança de posturas e reconhecimento e a tão sonhada valorização. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  28. O curso de formação de vigilantes exige apenas o primário, mas na prática na HR de enviar um currículo a maioria das empresas exigem experiência de no mínimo um ano no ramo e ensino médio completo ou que estejam cursando o mesmo,aí o vigilante volta a estaca zero, investiu no curso de formação e não encontra espaço e oportunidades no mercado de trabalho.

    • Ola Raquel
      Esta é nossa realidade hoje. O que precisamos realmente mudar é nossa forma de ver o problema, a formação exige uma padrão mas o mercado outro. Nos resta acharmos o tempo que não temos o investimento que temos menos ainda e voltarmos a estudar, aprimorarmos nossos horizontes e só assim deixaremos de nadar e morrer na praia, pois não da para exigir que as empresas diminuam seus padrões para nos adaptarmos, o mercado não permitiria tal desvalorização e realmente é a ultima coisa que nossa já sofrida categoria precisa mais desvalorização. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

    • Ola Juremar
      Perfeito, se fizermos nossa parte esta sera nossa realidade. As mudanças e a valorização que nos é adequada devera vir de acordo com nosso nível de engajamento. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  29. Maior mentira as empresas não contratam vigilantes sem o ensino médio completo 99,8% tem que apresentar certificado de conclusão do ensino médio na hora da contratação
    fazem assim para não ter que pagar salários justos e quando pedimos aumento falam que o nosso salário e um dos maiores do país tendo em vista a formação e a escolaridade

    • Ola Alberto
      Em principio vamos separar exigência para formação e para contratação. A formação é da forma que se mostra na matéria porem a realidade hoje é outra. O intuito da matéria era este mesmo. mostrar que se a exigência de formação é uma porque a de contratação é outra? Que então se mude a exigência de formação, equiparando esta a de contratação, com ela a devida valorização do profissional. A politica de salários é pautada na capacitação profissional, para tanto é necessário sermos cada vez mais competentes e profissionalmente melhores. As empresas querem sempre o melhor profissional e exigem muito deste, os mais adaptados se sobressaem o que deixa muitos de nos sem entender porque dois pesos e duas medidas para um mesmo fim. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  30. Bom dia !!!! Não existe vontade dos governantes, patrões e sindicatos.
    Pois a desculpa de nos pagar tão pouco é a escolaridade. Mas cade o incentivo ?
    O empresário deve covrar baratinho a hora do vig armado.
    O sindicato não oferece nenhum tipo de curso que eu tenha conhecimento.
    E os governantes não quer mexer nisso.
    Ai ficamos nós dando enes desculpas para ; salários baixos, sem reconhecimento, planos de saúde e etc….
    Temos que nos unir para melhorar tudo . não somente o o segundo grau. Mas sim a dihnidade da profissão
    .

    • Ola Jorge
      Em parte você esta correto. Mas não podemos nos esquecer que somos uma força enorme e juntos podemos mudar esta realidade. Os Governos precisam de uma linha a seguir para alterar as leis, esta linha deve ser indicada por nossos representantes e por nos mesmos. Sindicatos são formados e existem para nos atender, estes devem seguir os rumos que nos indicarmos afinal estes devem nos representar. Esta deveria ser a realidade, porem quanto de nos já fomos a reuniões e ajudamos a pautar estas mudanças? devemos sim nos valorizarmos e pedir aos nossos representes; que na maioria das vezes também são da área, que sigam os rumos que indicamos. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

    • Ola Roberto e Alessandro.

      A exigência não deveria ser um problema e sim uma forma de valorização. Como descrito na matéria; somos mal visto em parte, por não termos na formação de base a dita capacitação adequada a área e de certa forma as empresas estão suprindo esta necessidade com a exigência de um nive maior de escolaridade. O aprimoramento pessoal deveria ser uma constante mas eu sei que a falta de tempo, dinheiro e a rotina pessoal e dos posto de trabalho deixam ou retiram o tempo para este dito aprimoramento, porem sem ele não poderemos exigir melhorias pois não temos o que oferecer ou o que justifique tal melhoria. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  31. O cidadão paga caro para fazer o curso de vigilante para ganhar em média R$ 1800,00. Corre risco, assume uma enorme responsabilidade e investe em treinamento custeado pelo próprio bolso. Daí chega no posto e se depara com um colega que é porteiro, sem qualificação nenhuma, sem curso, com 1/5 das atribuições do vigilante e que no dia de pagamento recebe R$ 1600,00. Pq hj em dia porteiro ganha os mesmos 30% de risco de vida. Ou seja, não vale a pena mais ser vigilante. Na minha opinião o vigilante deveria ganhar uns R$ 3000,00. Quem não concordar aí sim estará desvalorizando a categoria.

    • Ola Alex
      sta realidade se reflete em números e conseguencias. A remuneração do profissional da área deveria seguir os padrões da segurança publica no minimo, uma vez que reservadas as devidas proporções, exercemos as mesmas atividades e riscos. logico minha opinião. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

  32. Coitado do pai de família que não teve a oportunidade de estudar e logo cedo começou a trabalhar a quanto tempo os de 4 série lhes serviram e agora querem simplesmente exigir escolaridade quantas pessoas conheço que tem ensino superior não chegam aos pés de muitos da 4 série.

    • Ola Marcelo
      Com certeza você tem razão, mas um detalhe não é uma forma de discriminar e sim uma forma de valorizar. Estamos tratando de meios e formas de melhoria ao profissional e não de desvalorizá-lo seja em que base for. Melhorias de capacitação viram para exigências futuras não afetam profissionais já na ativa pois estes já se adaptaram as realidades atuais mas com certeza sofreram bastante por falta de conhecimentos e ate de oportunidades Seja como for mudanças benéficas viram para todos. Continue acompanhando as próximas publicações onde irei aprofundar mais no nosso universo. Fique bem e seguro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here