Suboficiais de Forças Armadas da América do Sul se dedicam à profissionalização de suas tropas

blank
Participantes do Seminário de Suboficiais Superiores 2019, realizado no marco da Conferência Sul-Americana de Defesa 2019 em Natal, Brasil. (Foto: Marcos Ommati / Diálogo)

Entre os dias 20 e 22 de agosto, em Natal, Suboficiais e Subtenentes de diversas Forças Armadas da América do Sul se reuniram no Seminário de Suboficiais Superiores 2019.

O evento fez parte da Conferência Sul-Americana de Defesa (SOUTHDEC) 2019, patrocinada pelo Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM) e pelo Ministério da Defesa (MD) do Brasil. O Canadá, a Espanha e o Reino Unido participaram como observadores.

Sob o tema “A cooperação regional de defesa em resposta aos desafios do hemisfério”, os suboficiais e subtenentes da Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Estados Unidos, Paraguai, Peru, Suriname e Uruguai compartilharam informações e as lições aprendidas sobre a profissionalização e as oportunidades de treinamento regional.

Eles também conversaram sobre as contribuições para as operações de planejamento de ajuda humanitária. “Este seminário tem como objetivo promover uma mudança cultural para que haja maiores responsabilidades entre os líderes suboficiais da região”, disse Subtenente do Exército dos EUA, Danny Gomes, gerente do Programa de Parceria para o Desenvolvimento de Suboficiais do SOUTHCOM.

“O conhecimento, a experiência e a liderança dos suboficiais experientes desempenham um papel integral no sucesso de nossas forças, para responderem às ameaças comuns no hemisfério ocidental.”

O seminário é realizado desde 2017 como uma agenda paralela à reunião dos comandantes das forças militares. O seu objetivo é permitir que os suboficiais tenham um espaço simultâneo para analisar seus próprios desafios.

“Este seminário é o nosso fórum para intercambiar experiências. É fundamental saber de maneira exata o que fazem os outros suboficiais-mor em seus países, especialmente nos EUA, e discutir temas como o desenvolvimento e a profissionalização do suboficial”, disse o Suboficial-Mor do Comando Geral do Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil, Francisco Gleison Ferreira dos Santos.

“O suboficial-mor proporciona um vínculo entre a liderança superior e a tropa e orienta os graduados nas questões referentes ao moral e ao bem-estar dos subordinados e seus familiares.”

Conquistas dos suboficiais

O seminário contou, pela primeira vez, com a participação do primeiro suboficial do Comando Conjunto das Forças Armadas do Equador.

“Estamos aqui para inter-relacionar ideias e experiências que nos permitam encontrar mecanismos conjuntos para uma maior profissionalização e liderança dos suboficiais na região, disse o Subtenente do Exército Equatoriano Mario Sandoval Ramírez.

“Devemos estar preparados em todos os âmbitos de planejamento, estratégia e treinamento para assessorar o comando sobre a necessidade e os requisitos de que nossas tropas precisam no momento de atuar, mantendo sigilo, respeito e cumprimento do dever.”

“É fantástico ver os países da América do Sul reunidos para discutir os pontos em comum e os temas atuais, em particular, a ajuda humanitária e a forma como ela vem sendo abordada nos últimos anos”, disse o Subtenente do Comando Conjunto do Exército do Reino Unido, Glenn Haughton, assessor principal graduado do Comitê de Chefes de Estado-Maior do Ministério da Defesa.

“A estrutura militar não pode funcionar sem os suboficiais, pois nós exercemos um papel vital para complementar a cadeia de comando.”

No final do seminário, os suboficiais se comprometeram a trabalhar para o desenvolvimento profissional de seu pessoal, consolidando as relações entre os comandantes e os suboficiais, e a fornecer mais capacitação para maximizar as missões, incorporar a gestão de talentos e criar um sistema de méritos para a promoção.

  • Com informações da Revista Diálogo Américas

2 COMENTÁRIOS

  1. Antes de tudo, gostaria de parabenizar o Brasil por este evento, muito importante para a conscientização dos nossos “brigadeiros” do segmento de subalternos,
    Dando-lhes a importância que é dada pelos EEUU aos “Master Sargent”.
    Maj Brig Normando A Medeiros

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here