Taurus Armas volta poder participar de licitações na Polícia Militar de São Paulo

blank

A empresa Taurus Armas por meio de um comunicado à imprensa, feito no dia 09 de agosto, revela que a decisão proibindo a participação da empresa em licitações e contratações com a Polícia Militar de São Paulo (PMSP) foi suspensa.

Após a PMSP alegar que o contrato administrativo entre ambas as partes apresentou falhas e as carabinas da empresa foram entregues com problemas técnicos, a empresa de armas foi proibida de licitar com a polícia por dois anos.

Em recurso administrativo apresentado à instância superior, a Taurus Armas diz que não há provas sobre tais defeitos. A empresa de armas ainda ressalta que o processo, instaurado em 2014, refere-se à aquisição de carabinas dos anos 2007 e 2011, período anterior à gestão atual. As carabinas, portanto, estão em uso há anos.

“Estranhamente esse processo ficou parado por mais de 2 anos sem qualquer movimentação até que, coincidentemente, a punição indevida ocorre no momento em que está em curso o processo de licitação internacional n. CMB-340/0006/19 da Polícia Militar para aquisição de 40.000 pistolas”, complementou a fabricante.

A Taurus Armas alega que cumpriu com todas as suas responsabilidades contratuais e acredita que a decisão final será a anulação definitiva da sanção aplicada.

  • Com informações do site Money Times

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here