Três bombas da 2a guerra encontradas e desativadas em uma semana na França

blank
Imagem ilustrativa com fotos da Gendarmerie Nationale.

Foram encontradas 3 bombas da 2a guerra mundial em apenas uma semana no departemento da Loire (Rhône-Alpes), na França. As bombas foram encontradas durante trabalhos de obras de construção civil que exigiam escavações. Apesar das bombas encontradas serem idênticas, sendo essas bombas de 500kg, somente a de La Ricamarie ofereceu maior risco, pois estava em um terreno de uma área residencial densa, enquanto as demais em regiões desabitadas.

No caso da vila de La Ricamarie e parte de Chambon-Feugerolles foi instalado toda uma estrutura preventiva, com perímetro de segurança e apoio para a comunidade que foi instalado no domingo. Pelo menos 1.800 pessoas terão que evacuar a área durante as operações. O tráfego rodoviário e ferroviário foi interrompido na rodovia próxima, na linha de trem da SNCF e na linha de bondes da STAS.

Esta bomba de 500 kg que foi descoberta é uma bomba que foi lançada pela RAF (Royal Air Force) na noite de 10 para 11 de março de 1944 na fábrica Nadella na vila de La Ricamarie, mas que não explodiu, assim como muitas outras centenas de milhares que já foram encontradas desde o fim da guerra e que continuam a aparecer mesmo 77 anos depois do fim da guerra.

Esta operação de remoção de minas exigiu o estabelecimento de um perímetro de segurança nos municípios de La Ricamarie e Chambon-Feugerolles. Desde as 6h30, 130 policiais e gendarmes, e vinte funcionários municipais garantiram a segurança dos 1.800 moradores evacuados. Quase uma centena foi acolhida e atendida por voluntários das associações da Cruz Vermelha Francesa e da Ordem de Malta nos 4 centros de acolhimento nos municípios de La Ricamarie e Chambon-Feugerolles.

A operação começou às 10h05 e terminou às 10h50 sem qualquer dificuldade. Quando o sistema de segurança foi suspenso, os moradores dos dois municípios puderam voltar para suas casas. O tráfego é novamente autorizado na área e na RN88. O tráfego ferroviário também foi retomado na região.

blank
Fonte: http://www.loire.gouv.fr/securite-une-importante-operation-de-deminage-a-la-a8204.html

Foi instalado um posto de comando operacional nas instalações da Câmara Municipal de La Ricamarie para assegurar o bom andamento desta operação que reuniu:

– as municipalidade das villes de Ricamarie e Chambon-Feugerolles
– os serviços de polícias civis e gendarmeria
– os bombeiros departamentais
– serviço de resgate o serviço de remoção de minas de Lyon
– a Cruz Vermelha Francesa
– a Ordem de Malta
– a STAS

O trabalho de parceria e a coordenação de todos os meios permitiram a implementação e o andamento desta operação inédita nas melhores condições.

Mais bombas ainda podem ser descobertas

Para Alain Conorton, funcionário da Defesa Civil, não é muito surpreendente ter encontrado uma bomba nessa região de St Etienne Metropolitana. Sem dúvida, existem muitas outras. “ Não é a primeira que descobrimos e dado o estado do distrito após o bombardeio, é necessário que restem alguns. Nem todas explodiram e essa só foi descoberta por causa das obras de demolição de uma escola que funcionou nesse terreno por cerca de cinquenta anos . “

Em fevereiro passado, uma bomba de fósforo de 200 kg foi descoberta em La Ricamarie. Mas desta vez a bomba foi transportada e neutralizada pelo serviço de desminagem. A média de localização de bombas e explosivos da época das duas guerras é de pelo menos 3 a 4 por mês desde os últimos 10 anos devido ao aumento das construções civis por toda a França.

Infelizmente não são computadas as muitas bombas que são encontradas em regiões rurais que acabam sendo guardadas como souvenirs ou vendidas no mercado negro de relíquias de guerras e que por vezes acabam causando acidentes fatais com quem as manipula sem cuidados.

blank
Alguma imagens das bombas que foram encontradas recentemente, somente na região de Rhône-Alpes, na França. Fonte: Gendarmerie Nationale/Armée de Terre.

Um pouco de história

Essa bomba é oriunda do bombardeio da Fábrica Nadella, efetuado em 11 de março de 1944, quando os combatentes da resistência francesa identificaram que a fábrica estava produzindo para a indústria alemã.

A Fábrica Nadella fabricava rolamentos de agulha e de esferas para tanques alemães , detalha Alain Conorton, da Société d’histoire de la Ricamarie. Inicialmente a fábrica deveria ser destruída pelos combatentes da resistência em uma ação de comandos. Mas havia uma indecisão na ação da parte do pessoal da resitência, devido a falta de pessoal, armas e explosivos adequados. Sendo assim, a Inteligência Britânica e a RAF decidiram bombardear as instalações principais e anexas, mesmo colocando em risco as vilas locais.

Depois de lançar milhares de quilos de bombas sem muita precisão, a fábrica da Nadella foi reduzida a cinzas, mas não só. A fábrica Jacquemont que fabricava os parafusos foi destruída, assim como centenas de casas. De acordo com informações da Ville de La RIcamarie, na época em torno de 700 civis foram feridos e 130 foram mortos na vila de La Ricamarie e vila de Chambon-Feugerolles.

A cidade de Saint Etienne e todas as vilas de seus arredores foram alvos de ataques quase que diários da parte da aviação aliada devido à grande quantidade de fábricas metalúrgicas especializadas em armas, tubos, acessórios elétricos e também minas de carvão.

Saint Etienne e arredores não chegou a ser a aglomeração mais bombardeada da França ocupada, mas teve quase 50% de suas infraestruturas destruídas, e até meados dos anos 2000, 15% da região periférica e parte do centro da cidade ainda era considerada área de risco devido à grande incidência de bombas que eram encontradas em escavações de obras, principalmente nos arredores do entroncamento ferroviário.

Entre os historiadores franceses, é quase unânime a constatação que os bombardeios da aviação aliada causaram pelo menos dez vezes mais destruição que o avanço e a ocupação nazista.

blank
Uma das muitas imagens dos milhares de bombardeios que a cidade de Saint Etienne e arredores sofreram durante a 2a Guerra, efetuados pela aviação aliada (RAF e USAAF). Foto de autor desconhecido, via Le Progress.
  • Com informações Les services de l’État (Gendarmerie) dans la Loire, Le Progress, France Inter e France Bleu via redação Orbis Defense Europe.