Trump diz que Irã pode ter abatido drone por engano

Google News

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse suspeitar que o Irã derrubou por engano um drone militar nesta quinta-feira (20). Mais cedo, o republicano havia afirmado que anunciaria “em breve” se os EUA fariam ou não uma retaliação contra o incidente.

“Eu acho que, provavelmente, o Irã cometeu um erro – eu imagino que um general ou alguém cometeu um erro ao abater aquele drone”, disse Trump a jornalistas na Casa Branca.

“É difícil acreditar que foi intencional, se você quer saber a verdade. Eu acho que pode ter sido alguém que estava solto e estúpido naquele dia”, acrescentou o presidente norte-americano.

O Irã informou que o drone de vigilância Global Hawk, desarmado, estava em uma missão de espionagem sobre seu território, mas os EUA alegam que a aeronave foi abatida em espaço aéreo internacional.

“Não tínhamos ninguém nesse drone. Isso faria uma grande diferença, digo a vocês, se houvesse alguém dentro isso teria uma grande, grande diferença”, disse Trump ao se encontrar com o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, no Salão Oval da Casa Branca.

Os Estados Unidos, que classificaram o incidente como um “ataque não-provocado” em espaço aéreo internacional, estão no meio de uma campanha para isolar o Irã e conter seus programas nuclear e de mísseis balísticos e para limitar seu papel em guerras regionais.

Não está claro como os Estados Unidos poderão responder ao incidente, e a presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, a principal democrata no Congresso, disse que o país não tem apetite para uma guerra contra o Irã.

De acordo com a agência Reuters, o governo Trump chamou importantes líderes parlamentares à Casa Branca para um briefing nesta quinta-feira sobre o Irã, segundo informou uma fonte familiarizada com a reunião.

Chanceler diz que Irã levará à ONU caso

Mais cedo o Irã já havia anunciado de que irá à ONU, para mostrar que o drone americano abatido havia entrado em seu espaço aéreo, diferente do que afirma Washington.

“Levaremos esta nova agressão à ONU e mostraremos que os Estados Unidos estão mentindo”, tuitou o chanceler Mohammad Javad Zarif, depois que um general americano disse que o drone foi derrubado a 34 Km da costa iraniana, segundo a France Presse.

“Os Estados Unidos impõem seu terrorismo econômico ao Irã, levaram adiante ações clandestinas contra nós e, agora, avançam sobre nosso território”, criticou Zarif. “Não buscamos a guerra, mas defenderemos com zelo nossos céus, terras e águas.”

O drone foi abatido perto do Estreito de Ormuz, que é uma passagem importante na rota de petroleiros que saem do Oriente Médio e foi o local onde navios foram atacados no último mês. O drone não era de ataque, mas, sim, de vigilância.

O tenente-general americano Joseph Guastella, que comanda as forças aéreas americanas naquela região, afirmou que o drone foi atingido por um míssil iraniano sobre o Estreito de Ormuz.

“O ataque irresponsável aconteceu perto dos corredores aéreos estabelecidos entre Dubai, Emirados Árabes e Omã, possivelmente colocando em perigo civis inocentes. O drone Global Hawk não violou o espaço aéreo iraniano em nenhum momento durante sua missão”, garantiu Guastella, em declaração à imprensa via teleconferência a partir da base aérea de Al-Udeid, no Catar.

O general indicou que o míssil foi disparado de uma posição próxima à cidade iraniana de Garuk. “A informação iraniana de que o drone foi derrubado sobre aquele país é categoricamente incorreta”, afirmou, assinalando que o aparelho caiu em águas internacionais.

“Este ataque é uma tentativa de evitar que vigiemos a área depois das recentes ameaças ao transporte marítimo internacional e ao livre comércio”, denunciou Guastella.

Área sensível

blankCerca de um quinto do petróleo mundial precisa passar pelo Estreito de Ormuz. A derrubada do drone é mais um incidente da escalada de tensão entre o Irã e os EUA.

Dois petroleiros foram atacados há uma semana na região. Os EUA acusaram o Irã de estar por trás dos incidentes. O exército americano tornou público um vídeo que, segundo eles, mostra iranianos tirando explosivos não detonados do casco de um navio – o que seria uma forma de impedir a identificação dos autores do ataque.

Washington decidiu enviar mais tropas e fortalecer sua instalação militar de navios e mísseis no Golfo Pérsico.

  • Com agências internacionais e G1


Receba nossas notícias em tempo real nos seguindo pelos aplicativos de mensagem abaixo:

Assine nossa Newsletter


Receba em seu e-mail as últimas notícias do DefesaTV, é de graça!

Assista nosso último episódio:

1 COMENTÁRIO

  1. Você confiaria num comandante em chefe que põe tropas a caminho de conflito e de repente muda de ideia e manda voltar,dizendo a seguir que talvez não seja assim.Com a coréia do norte foi a mesma coisa.O paciente precisa cuidados:Sindrome de personalidade histrionica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here