Trump suspende restrição ao uso de minas antipessoais pelas forças armadas

blank

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou esta sexta-feira (31) a suspensão das restrições impostas em 2014 ao Exército dos EUA em relação ao uso de minas antipessoais, conhecidas pelo grande perigo que representam para as populações.

“Esta nova política vai permitir aos militares usarem, em circunstâncias excecionais, minas antipessoais avançadas e não permanentes, projetadas especificamente para reduzir ferimentos a civis e parceiros de coligação”, explica o comunicado emitido pela Casa Branca.

A medida reverte restrições adotadas em 2014 pelo governo de Barack Obama, que, em 2014, aderiu a diversos artigos do Tratado de Ottawa, de 1997, que bane o uso, o armazenamento, a produção e a transferência de minas. Grupos de controles de armas criticam estes dispositivos pelos efeitos que eles têm sobre populações civis por muito tempo após o encerramento das guerras.

Mais cedo, o secretário da Defesa, Mark Esper, afirmou que as minas terrestres são um instrumento importante para “garantir o sucesso” das missões e “reduzir o risco” para os militares do país.

Tal medida soma-se a uma lista de reversões de políticas de Obama adotadas por Trump, que inclui o aperto do embargo a Cuba, a saída do acordo nuclear com o Irã e a saída do Acordo do Clima de Paris.

  • Com agências internacionais