U.S. Mariners permanecem na Noruega mesmo após cancelamentos de grandes exercícios conjuntos

blank
U.S. Mariners na Noruega. Foto by Cpl. William Chockey.

Cerca de 1.000 fuzileiros navais que chegaram à Noruega no mês passado, apenas para ter seus exercícios militares cancelados devido à pandemia, porém estes permanecerão no país para outros treinamentos no Ártico.

Os fuzileiros navais ficarão na região norte da Noruega até a primavera, dando continuidade a treinamentos de guerra ártica e de montanha, disse quinta-feira o major Adrian JT Rankine-Galloway, porta-voz das Forças do Corpo de Fuzileiros Navais na Europa e África.

Enquanto um pequeno número de fuzileiros navais voltou aos EUA depois que oficiais noruegueses cancelaram dois exercícios multinacionais no mês passado, a maioria dos membros do 3rd Battalion-6th Marines, que chegaram ao país no mês passado, permaneceram no local, disse ele.

O Corpo de Fuzileiros Navais tem enviado unidades para treinar na Noruega há anos. Por cerca de quatro anos, os fuzileiros navais tiveram uma presença de um ano lá, com unidades mudando a cada seis meses.

No ano passado, o Corpo de Fuzileiros Navais anunciou que estava revisando sua missão no país escandinavo, trocando rotações regulares pelo que a Força chama de ” modelo de implantação episódico ” que se alinha com grandes exercícios de treinamento militar norueguês.

Outro grande motivo da permanência de unidades de Mariners na Noruega é devido à intenções veladas de dissuasão frente a intensificação de atividades da Rússia em regiões árticas.

“Os Estados Unidos têm um relacionamento longo e próximo com a Noruega em questões de defesa e segurança, e esse relacionamento próximo de segurança continua a amadurecer”, disse Rankine-Galloway. “A Noruega oferece um terreno desafiador e acidentado que aprimora nossas habilidades em clima frio e de guerra nas montanhas com os maiores especialistas em combate em condições árticas que são os militares noruegueses.”

O ministro da Defesa norueguês, Frank Bakke-Jensen, anunciou em 26 de janeiro que dois exercícios, Reindeer I e Joint Viking, seriam cancelados devido às altas taxas de COVID-19. Quase 3.500 soldados de cinco países foram escolhidos para participar.

Relatórios de novos casos de COVID-19 na Noruega caíram desde um pico de janeiro de mais de 900 novos casos em um dia para 358 relatados na quarta-feira, de acordo com dados globais de saúde monitorados pela Universidade Johns Hopkins.

Rankine-Galloway disse que quando os fuzileiros navais chegaram à Noruega no mês passado, eles estavam isolados e não interagiam com o pessoal norueguês até que o período de quarentena passasse “a menos que fosse clinicamente necessário”.

Vários fuzileiros navais testaram positivo para COVID-19 enquanto estavam em quarentena, ele acrescentou, embora se recusasse a dizer quantos, citando a política do Pentágono de não fornecer números específicos de casos por razões de segurança operacional.

“Os indivíduos COVID-positivos, bem como contatos próximos identificados dentro do contingente da Marinha, foram isolados e colocados em quarentena de acordo com os protocolos de saúde pública dos Estados Unidos e da Noruega”, disse Rankine-Galloway. “Continuaremos a aplicar medidas rígidas para mitigar o risco de transmissão de COVID entre nossas forças, nossos aliados noruegueses e a população local.”

Os fuzileiros navais que permaneceram na Noruega estão seguindo os protocolos de segurança locais e US COVID-19 durante o treinamento, disse ele.

“Estamos trabalhando em estreita colaboração com os militares noruegueses e oficiais de saúde pública para garantir que a implantação do Corpo de Fuzileiros Navais seja realizada de maneira segura”, acrescentou.

Abaixo, alguns vídeos da divulgação de atividades dos Mariners na Noruega desde o ano passado:

  • Com informações do U.S. Marine Corps via redação Orbis Defense Europe.

Comments are closed.