Usina nuclear flutuante russa gerou os seus primeiros dez milhões de kWh de energia elétrica para a rede da Chukotka

Imagem: Rosatom

A usina nuclear flutuante (projeto da Rosenergoatom JSC, subsidiária da corporação estatal da Rússia, a Rosatom) gerou para a rede isolada do sistema energético de Chaun-Bilibino (Distrito Autônomo de Chukotka) os primeiros 10 milhões de kWh de energia desde a sua conexão para a rede elétrica, ocorrida no dia 19 de dezembro de 2019.

Atualmente, a usina nuclear flutuante atende a um quinto das necessidades do sistema de energia Chaun-Bilibino. No futuro, atenderá completamente às crescentes necessidades de energia de Chukotka e se tornará uma fonte de eletricidade confiável, não apenas para a cidade de Pevek, mas também para toda a região.

Vitaliy Trutnev, o diretor de Construção e Operação das Usinas Nucleares Flutuantes da Rosenergoatom JSC, disse: “No futuro, a usina nuclear flutuante gerará energia suficiente para o desenvolvimento das empresas de mineração de ouro, cobre e outros minerais no território de Chukotka. Além disso, a usina se tornará um dos principais elementos da infraestrutura da rota do Mar do Norte. O objetivo principal para o ano 2020 é iniciar a operação comercial da instalação.”

Deve-se notar que, de acordo com a renomada revista Power, a conexão da usina nuclear flutuante à rede elétrica foi um dos eventos chave de 2019 para o setor nuclear global.

Fonte: Rosatom Latin America