Vazamento de informações do PPC Chinês reaviva discussões sobre tropas chinesas disfarçadas no Canadá

blank
Imagens via redes sociais do Canadá e Canadian TV.

A informação divulgada mundialmente sobre o vazamento de informações do PCC chinês (publicada em primeira mão no Brasil pelo Orbis Defense & Defesa TV), que provou a infiltração de membros desse partido em diversas instituições empresariais e governamentais dos EUA, Reino Unido, Austrália e possivelmente em muitos outros países, conseguiu reacender discussões sobre a provável presença de tropas chinesas ou paramilitares, treinando disfarçadas no Canadá.

A informação sobre essa provável presença militar chinesa é comentada abertamente desde 2018 pelas mídias canadenses e americanas, quando oficiais observadores do PLA chinês (Exército de liberação popular da China) estiveram presentes, por diversas vezes em exercícios militares das forças armadas canadenses, e à convite do governo do Canadá.

Não é novidade que o atual governo canadense é politicamente alinhado com doutrinas consideradas “amigáveis” à China Comunista, praticando toda uma agenda considerada como globalista e neoliberal, o que para muitos nada mais é que uma forma de socialismo “new wave” maquiado.

E que dentro desse escopo, seria fácil para um país como a China implantar um projeto de tal ousadia dentro de territòrio canadense, contando com argumentos bem elaborados, disfarces eficazes e a vista grossa das autoridades políticas que simpatizam com a ideologia chinesa em suas versões ocidentalizadas.

Vale lembrar que no passado, miltares chineses já foram integrados como observadores em alguns exercícios militares de grande envergadura, como o exercício naval multinacional “RIMPAC – Rim of the Pacific” durante a era Obama ( à contra-gosto dos militares da U.S. Navy), e que depois tiveram sua presença cancelada durante o governo Trump.

Mas atualmente depois de todas as grandes evidências de manipulações chinesas da crise do Covid, das ingerências da China nos meios de comunicação dos EUA e de muitos outros paìses, incluíndo a comprovada atividade de espionagem por toda a estrutura universitária e industrial ocidental, não resta mais dúvidas que o governo comunista chinês usa da espionagem e sabotagem para promover sua agenda de dominação mundial, e, conta ainda com a manipulação midiática para desviar a atenção da realidade dessa infiltração nociva do ocidente em larga escala. Como sempre digo; “Conspiração não é teoria, é modus operandis“…

Sobre a presença de militares chineses em universidades dos EUA e de outros paìses já não existe mais novidades a serem exploradas, sendo òbvia a presença dos mesmos em diversas instituições com intenções de espionagem e/ou sabotagens de pesquisas. Não faltam informações nas mídias especializadas sobre as centenas de prisões de agentes chineses e de colaboradores nacionais cooptados direta ou indiretamente pelo partido comunista chinês mundo afora.

O misterioso assassinato da chinesa Bo Fan em Salt Spring Island (British Columbia, Canadá)

Porém os fatos que vieram à tona à alguns meses devem ser considerados no mínimo muitos suspeitos, pois evidencia uma situação muito mais grave do que se poderia imaginar dentro do cenário que muitos imediatamente rotulariam como “teoria de conspiração”, que é, a presença de um possível campo de treinamento clandestino de militares chineses dentro de territòrio canadense, disfarçado como “academia de desenvovimento espiritual” e que funcionava em um antigo resort falido, o Mineral Springs Resort na ilha de Salt Spring (Columbia Britânica).

Toda a història começou por volta de 20 de julho de 2020, quando aconteceu a investigação de um assassinato de uma cidadã chinesa, que estava morando no Canadá a pelo menos um ano, e que, justamente dirigia a tal “academia de desenvolvimento espiritual” supracitada. Essa cidadã chinesa também estava comprando terrenos e outras propriedades na ilha de Salt Spring, ao sudeste de Vancouver.

A chinesa de nome Bo Fan, uma mulher de 41 anos que veio para o Canadá em fevereiro de 2019, foi vítima de assassinato no dia 17 de junho de 2020 de acordo com a Polícia local, e seu corpo foi encontrado politraumatizado, com sinais de aparente espancamento ou atropelamento.

blank
A chinesa Bo Fan, assassinada em Salt Spring Island.

Bo Fan aparentemente era uma executiva contratada pela empresa “Create Abundance” e sua afiliada “Golden Touch”, duas organizações de marketing multinível de filosofia espiritual, psicológica e financeira, e Bo Fan aparentemente trabalhava na administração do “resort” que alguns jornalistas investigadores independentes do Canadá (David Molko, Repórter sênior do CTV News Vancouver e Bob Mackin do TheBreaker.news, entre outros) acreditam ser um campo de treinamento militar chinês disfarçado.

Antes do acontecimento do assassinato, muitos moradores locais já estranhavam a presença em relativa grande quantidade de “estrangeiros orientais” em atividades pouco convencionais para uma colônia de férias, tais como; marchas com fardas militares, competições de artes marciais violentas e ordens unidas em idioma chinês. As atividades foram denunciadas pelos moradores da região, mas não receberam atenção das autoridades locais até a descoberta do assassinato da chinesa Bo Fan.

Apòs a descoberta do assassinato da cidadã chinesa Bo Fan, as desconfianças se tornaram maiores sobre a possibilidade de algo muito mais misterioso envolvento as empresas “Create Abundance” e sua afiliada “Golden Touch”, pois ambas encerraram suas atividades muito rapidamente na época da descoberta do assassinato e atualmente é impossível conseguir contato com seus responsáveis para maiores exclarecimentos no Canadá.

blank
Imagens da localização de Salt Spring Island, via Google.

 

Falta de zelo ou excesso de confiança?

Apesar dos esforços para se manterem discretos, as atividades da “Create Abundance International Institute Inc.” observadas pelos moradores da região foram registradas em fotos e vídeos que ainda estão disponíveis nas redes sociais e em reportagens das mídias canadenses e americanas, apesar de aparentes esforços de particulares para deletar esse material audiovisual da internet.

Porém tudo foi tratado como apenas uma seita de fanáticos como muitas outras, ou apenas mais um “boot camp” de sobrevivecialistas que estão bem populares por todo o mundo. A grande diferença é que nesse “resort” somente orientais participavam das atividades e todas as instruções eram em idioma chinês.

As atividades inicialmente eram de carácter esportivos dentro das dependências do resort, e aos poucos foram observadas nas estradas locais com marchas militares com grandes mochilas de campanha e outras com pouco equipamento. Também foram relatadas competições de lutas marciais diversas usando ternos, roupas sociais esportivas e uniformes profissionais como; roupas de garçons, carteiros e outras.

blank
Uma das muitas imagens feitas por moradores da região onde aparecem as formaturas de integrantes da organização “Create Abundance” e sua afiliada “Golden Touch”usando uniformes militares muito semelhantes aos usados na China comunista. Imagem via Canadian TV News.

Na maior parte do tempo os integrantes dessas atividades estavam sempre todos fardados em uniformes camuflados pixelizados muito semelhantes aos do exército chinês, com seus participantes aparentando idade jovem e boa condição física. Estima-se que bem mais de mil pessoas já frequentaram o local ao mesmo tempo, praticando os referidos treinamentos paramilitares.

Até perto da véspera da descoberta do assassinato da chinesa Bo Fan, diversas queixas de excesso de barulho, pessoas praticando direção perigosa, bebedeiras e até brigas foram feitas à polícia pelos vizinhos do resort, sem receber maiores atenções da polícia local.

Na época do acontecido assassinato da chinesa Bo Fan e da descoberta dos fatos pelas autoridades policiais locais, os gerentes do resort chinês onde funcionava a Create Abundance chegaram a afirmar publicamente que apenas alguns treinamentos se destinavam a formação de corpos de vigilantes para empresas de segurança, que fornceceriam serviços de segurança privada para empresas chinesas no Canadá, e que tudo estaria dentro da legalidade junto ao governo canadense. As demais atividades seriam nada mais que cursos lúdicos da organização.

O resort ao longo da North Beach Road em Salt Spring Island tem uma área de pelo menos 29 acres, com cabanas à beira-mar que foram reformadas para receber mais pessoas que sua capacidade normal e pelo que foi relatado pelos vizinhos, até pequenos subterrâneos foram construìdos no terreno. O resort continua como propriedade da Create Abundance, de acordo com registros de propriedade e seu site.

blank
Imagens via redes sociais do Canadá.

Um dos vídeos que ainda estão no Youtube mostra um flagrante de uma marcha:

Outro mostra uma reportagem da CTV:

Sobre a Create Abundance e a Golden Touch

A Create Abundance International Institute Inc. foi constituída em 2013 e registrada pelo chinês Zhong Guo , um “empresário”, de acordo com os registros. Mas este Guo não é o único diretor da empresa-organização, sendo o outro Zhang Dazhun, cuja propriedade localizada a oeste do Parque Regional do Vale Campbell em Langley, British Columbia, está avaliada em US$5 milhões. Guo e Dazhun também são os dois diretores da GT Global Corp., uma empresa registrada nas Bahamas e listada no famoso banco de dados Panama Papers. GT designando, aqui, Golden Touch.

A Golden Touch se descreve como uma organização de comunicação global “comprometida com a difusão da sabedoria espiritual da cultura chinesa”.

Cinco empresas seriam vinculadas à Golden Touch, todas localizadas no mesmo endereço. E de acordo com uma fonte da CTV News , Bo Fan visitava regularmente esta propriedade. Ou ela trabalhava lá ou era a gerente, segundo fontes da Canadian TV. Em última análise, GT Global Corp. tornou-se inativo e foi removido do Registro de Empresas das Bahamas entre 28 de novembro de 2019 e 17 de janeiro de 2020.

No Natal de 2013, a Create Abundance abriu sua primeira turma em um hotel cinco estrelas em Shenyang, na província de Liaoning. Durante o evento promocional, vários futuros tutores compartilharam suas histórias de sucesso de crescimento pessoal. Zhang Xinyue os incentivou a se tornarem “borboletas sociais”, uma fórmula própria, e a levar uma vida luxuosa para atrair mais membros.

No Canadá, com sua forte diáspora chinesa, tem sido um terreno fértil para a Global Touch. Para participar de um evento realizado em Vancouver em 2016, chamado de Grande Seminário Sakura April Days Vancouver 2016, a empresa GT cobrava a partir de US $ 10.000, para entrada simples ao evento.

O ex-membro do Partido Liberal do Canadá, Joe Peschisolido , também esteve presente. Os canadenses mais se lembram de Joe Peschisolido por esta história sobre seu ex-escritório de advocacia que facilitou uma transação financeira que permitiu a um traficante lavar dinheiro por meio de um projeto de condomínio em Vancouver.

Zhang Xinyue está desaparecida, embora Create Abundance ainda não pareça ter sido fechada. Quanto à investigação do assassinato de Bo Fan, não se divulgou mais detalhes além de que a polícia disse que havia certas pessoas que sabem muito sobre o evento desde então deixaram o Canadá.

Um site extinto da Create Abundance in Canada é intitulado “Turning Stones into Gold” e afirma que a organização tem um “laboratório de pesquisa de ondas cerebrais em Vancouver, tem equipamentos avançados e reúne muitos cientistas de todo o mundo” para estudar os escritos de Zhang Xinyue.

A Canadian TV News encontrou mais eventos em Toronto, incluindo um evento no Markham Marriott Hotel em 2015 com uma foto que parece incluir Bo Fan com um grupo na prefeitura de Toronto, o que pod evidenciar possíveis ligações com políticos da esquerda local.

A GT r insiste que algumas pessoas são verdadeiras devotas do Golden Touch depois de terem sucesso com seus ensinamentos, com o site do grupo insistindo que tem muitos seguidores em todo o mundo.

A Create Abundance International Institute Inc. ainda possui um perfil no Linkedin e endereço de internet, porém o site está fora do ar à um bom tempo, basta checar os links abaixo:

blank

http://ca2020.net/

blank

https://www.linkedin.com/company/create-abundance-international-business-community

Sobre oficiais chineses observaram exercícios militares do Canadá

O Departamento de Defesa Nacional do Canadá confirmou que oficiais do Exército de Libertação do Povo da China (PLA) estava de fato em solo canadense em fevereiro de 2018 para os exercícios de treinamento de inverno das Forças Armadas canadenses, mas o DND insiste que eles estavam lá apenas como observadores.

“Não treinamos com o PLA”, disse um porta-voz do DND ao Toronto Sun. “No entanto, com base em um acordo assinado em 2013, tem havido a concessão ocasional e recíproca de status de observador para atividades não sensíveis, incluindo exercícios de sobrevivência no inverno.”

O Acordo de Promoção e Proteção Recíproca de Investimentos Canadá-China entrou em prática em 2014, quando Stephen Harper ainda era primeiro-ministro.

Não parece haver uma referência a este acordo referente aos militares em documentos obtidos pelos veículos de mídia independentes Rebel News e relatados pelo Globe & Mail.

Mas esses documentos indicaram que o Canadá estava preocupado com as negociações diplomáticas em torno do cancelamento da presença canadense nos exercícios de inverno da China comunista de 2019, por causa da detenção dos cidadãos canadenses Michael Spavor e Michael Kovrig, que agora estão presos na China há dois anos acusados de crimes de espionagem e trafico de drogas, entre outros.

Uma série de relatórios e e-mails vazados e citados por reportagens do CTV e Clobe & Mail indicam uma relutância do Chefe do Estado-Maior da Defesa, General Jonathan Vance, e do Major-General da Força Aérea Real Canadense, Derek Joyce, em seguir em frente com esses esforços conjuntos para permitir a presença chinesa em exercícios militares no Canadá.

Antes da detenção de “Two Michaels” e da prisão canadense do executivo de negócios da Huawei Meng Wanzhou por acusações apresentadas pelos Estados Unidos, o DND agora reconhece que a versão 2018 dos exercícios de inverno tinha soldados uniformizados do PLA aqui como parte de um acordo entre Canadá e China.

“Por exemplo, uma delegação do Exército canadense visitou a China em janeiro de 2018, enquanto uma delegação do PLA visitou o Canadá em fevereiro do mesmo ano”, disse o porta-voz.

Os documentos indicam que o treinamento de inverno foi no CFB Petawawa, mas o DND afirma que “não houve atividades recíprocas com status de observador em 2019 ou 2020”.

Embora contatada, a Casa Branca do presidente Donald Trump disse que não tinha comentários na quinta-feira. A aliança da OTAN, da qual o Canadá é membro e a China não, também não fez comentários até agora (14 de dezembro 2020).

Enquanto isso, ainda não está claro se o status de observador abrange oficiais superiores do posto de coronel ou nível geral que vêm para participar de programas educacionais militares para o Canadá, conforme os documentos indicam que foram programados.

Documentos, que não foram efetivamente redigidos para encobrir material classificado, indicam que os compromissos das Forças Armadas Canadenses com o “Exército de Libertação do Povo Chinês” no Canadá deveriam incluir membros do PLA que participaram do Programa de Valores Mobiliários Canadense no CFC (Canadian Forces College) Toronto.

O documento afirma que “2 membros PLA, normalmente no nível de oficiais superiores a serem confirmados.

Há outros cursos semelhantes na academia militar canadense em Kingston mencionados também, mas um nesta faculdade histórica em Toronto se destacou, pois tem sido um terreno fértil para muitos generais em sua ascensão na hierarquia.

Um documento diferente fala sobre um “Diálogo de Comandantes de Educação Militar” envolvendo uma “delegação liderada por generais de 1 estrela ou 2 estrelas” e outro “Diálogo de Coordenação de Defesa CAF-PLA” envolvendo uma “delegação liderada por generais de 2 estrelas”.

O DND indicou que os hóspedes que vieram para este programa estão hospedados no “Holiday Inn Yorkdale 3450 Dufferin Street.” e não em quartéis das forças armadas canadenses.

Não está claro se algum convidado da China fez check-in. Mas agora está claro, e no registro, as tropas chinesas do ELP estavam no CFB Petawawa (quartel das forças armadas canadenses). As peças do quebra-cabeça estão todas ai semi conectadas, faltando apenas uma certa “vontade política para que a verdade apareça.

Abaixo, um dos muitos vídeos de redes sociais que criticam as posturas do governo canadense e sua relação com a China Comunista:

Conclusão

A provávem presença de militares chineses ou o possível recrutamento de chineses no Canadá para a composição de grupos paramilitares inicialmente não pode ser provada, mas os indícios são fortes e merecem uma investigação mais aprofundada. E  em outros tempos certamente aconteceria de forma muito enérgica. Porém tal investigação jamais poderá ser levada adiante sem o devido engajamento moral do governo canadense. Não cabe aos leigos discutir as leis e procedimentos canadenses, mas todos possuem a liberdade (pelo menos no ocidente até os presente dias) de questionar situações e pedir explicações aos seus governos.

No âmbito dos acordos internacionais, a presença de observadores de países não aliados ou até mesmo de inimigos é algo corriqueiro na diplomacia internacional, porém essas situações também devem ser conduzidas da maneira mais transparente possível para garantir a legitimidade moral dos governos e instituições  militares envolvidas, ainda mais em tempos de crise de confiança que envolvem os fatos atuais frente nessa nova guerra fria ou, primeira guerra híbrida mundial que aparentemente já está em curso…

E aos que se interessarem, que se aprofundem em suas pesquisas e que tomem suas conclusões dentro de vossas capacidades de julgamento da maneira mais imparcial possível…

  • Com informações e trechos de textos adaptados das matérias de; Penny Daflos, Jornalista multimídia da CTV News Vancouver, Bob Mackin e Ina Mitchell do theBreaker.news, Eric Pilon do ericpilon.com, David Molko, Repórter sênior do CTV News Vancouver e infos diversas de redes sociais o Canadá via redação Orbis Defense Europe.

Referências:

http://www.poletical.com/salt-spring-island-chinese-military.php

https://torontosun.com/news/local-news/warmington-communist-chinese-troops-observed-military-exercises-on-canadian-soil?fbclid=IwAR2CmKrNmydU63Pi1l9kYSfsiwwxGSYd1Og-tiwlmJTHkBiHcHS2ilFog6E

https://bc.ctvnews.ca/golden-touch-miracle-self-help-group-tied-to-surrey-homicide-victim-1.4999058

Exclusive: How a military-style boot camp on Salt Spring is related to a Surrey murder mystery

https://bc.ctvnews.ca/it-s-almost-like-a-mystery-novel-investigators-say-surrey-murder-victim-worked-for-golden-touch-1.5030055

https://bc.ctvnews.ca/homicide-investigators-reaching-out-to-b-c-chinese-community-after-death-of-woman-dropped-off-at-hospital-1.4997796

https://bc.ctvnews.ca/golden-touch-miracle-self-help-group-tied-to-surrey-homicide-victim-1.4999058

https://cairnsnews.org/2020/10/30/chinese-troops-in-canada-reports-need-more-evidence/

UNIFORMED CHINESE TROOPS ON SALT SPRING ISLAND (VANCOUVER) B.C. CANADA – VIDEO