Vídeo mostra iranianos retirando explosivo não detonado de petroleiro

blank
(U.S. Navy photo/Released)

Os Estados Unidos acusaram o Irã de estar por trás dos ataques. O Irã, contudo, negou “categoricamente” a acusação. As explosões ocorreram um mês depois que quatro navios petroleiros foram danificados em um ataque na costa dos Emirados Árabes Unidos.

Os Estados Unidos também culparam o Irã por esse ataque, mas não apresentaram provas. O Irã também negou essas acusações. As tensões entre os EUA e o Irã aumentaram significativamente desde que o presidente dos EUA, Donald Trump, assumiu o cargo em 2017.

O Golfo de Omã fica em uma das extremidades de uma importante rota marítima, pela qual passa um terço do petróleo do mundo todos os anos.

Leia mais:

O que se sabe sobre as explosões

A Marinha dos Estados Unidos disse por meio de nota que recebeu duas chamadas de socorro, do petroleiro norueguês Front Altair e do japonês Kokuka Courageous.

“As Forças Navais dos EUA na região receberam duas chamadas de socorro em separado. Uma as 6h12 (hora local) do navio Front Altair e a segunda as 7h (hora local) do navio Kokuka Courageous.
Ambos petroleiros estavam em águas internacionais no Golfo de Omã, a cerca de 10 milhas náuticas de distância, no momento das chamadas de socorro. O USS Bainbridge estava a aproximadamente a 40 milhas náuticas do Front Altair no momento do ataque e imediatamente foi em sua direção.
Às 8h09 (hora local), uma aeronave de reconhecimento dos EUA observou um barco de patrulha da classe IRGC Hendijan e várias outras embarcações de ataque rápido nas proximidades do Front Altair.
Às 9h12 (hora local), a aeronave de reconhecimento observa que algumas embarcações se aproximam do Front Altair.
Às 9h26 (hora local), os iranianos solicitaram que a embarcação Hyundai Dubai, que resgatara os marinheiros do Front Altair , entregasse a tripulação as embarcações iranianas.
A embarcação Hyundai Dubai atendeu ao pedido e transferiu a tripulação do Front Altair para as embarcações iranianas.
Às 11h05 (hora local), o USS Bainbridge se aproxima do rebocador holandês Coastal Ace, que resgatou a 24 membros da tripulação, do Front Altair.
Um marinheiro do Kokuka Courageous foi resgatado junto, pois ele havia abandonado seu navio após descobrir uma provável mina não detonada, em seu casco após a primeira explosão.
Enquanto isso o barco de patrulha de Hendijan tentava chegar ao rebocador Coastal Ace antes do USS Bainbridge. Os marinheiros foram resgatados pelo USS Bainbridge a pedido do comandante do Kokuka Courageous. 
Às 16h10 (hora local) um barco de patrulha da Classe Gashti do IRGC aproximou-se do Kokuka Courageous e foi filmado ele removendo a mina não detonada.”

Assim, os EUA e nossos aliados na região tomarão todas as medidas necessárias para nos defendermos e aos nossos interesses. Os ataques de hoje são uma clara ameaça à liberdade internacional de navegação e liberdade de comércio.
Os Estados Unidos não têm interesse em entrar em um novo conflito no Oriente Médio. No entanto, defenderemos nossos interesses.

O secretário americano afirmou que os ataques são parte de uma campanha iraniana para escalar as tensões na região e desestabilizar o fluxo de petróleo pelo Estreito de Ormuz.

“Essa avaliação é feita com base em inteligência, no tipo de arma usada, no nível de expertise necessário para executar a operação, em ataques similares do Irã contra embarcações e no fato de que nenhum grupo operando na área tem os recursos e a proficiência para agir com tal grau de sofisticação”, afirmou Pompeo.

Ele disse ainda ter instruído a representante americana na ONU a levar o tema para discussão no Conselho de Segurança do órgão.

blank

Representantes do governo iraniano, no entanto, negaram que o país esteja por trás das ações. Em um comunicado divulgado na sexta-feira, a missão iraniana na ONU disse que nega as alegações “infundadas” e “iranofóbicas” dos Estados Unidos.

“O Irã rejeita categoricamente a alegação infundada dos EUA em relação aos incidentes do petroleiro de 13 de junho e os condena da forma mais forte possível”, diz o comunicado.

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif, no Twitter, acusou os EUA de fazerem uma alegação “sem um fragmento de evidência factual ou circunstancial” e de tentar “sabotar a diplomacia”.

  • Com informações da BBC Brasil e da Marinha dos EUA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here